Site menu Guildas e expressões regulares
e-mail icon
Site menu

Guildas e expressões regulares

e-mail icon

2012.08.25

Este artigo expressa a opinião do autor na época da sua redação. Não há qualquer garantia de exatidão, ineditismo ou atualidade nos conteúdos. É proibida a cópia na íntegra. A citação de trechos é permitida mediante referência ao autor e este sítio de origem.

Hoje eu acabei conversando um bocado com uma senhora que, acabei descobrindo, também já tinha trabalhado no INDT.

O assunto acabou convergindo para a "mágica" que alguns (poucos) ambientes de trabalho possuem. Acabam criando um laço indissolúvel entre os funcionários, como uma guilda medieval. Depois as pessoas debandam, a empresa fecha, fale, mas a guilda continua. Legio patria nostra.

INDT foi uma experiência do gênero, mas certamente a Conectiva foi mais forte — por mais tempo, para um número maior de pessoas. Entrei na Conectiva e no canal #d00dz do IRC em 2000. Estamos em 2012... e ainda freqüento o #d00dz.

Assim como um homem trataria uma ex-paixão juvenil com um pouco mais de cavalheirismo do que qualquer outra transeunte, assim um membro da "guilda" também dispensa aos demais membros uma consideração mais elevada — ainda que tenha sido um desafeto, ou um simples faxineiro, ou alguém que não tivesse nada a ver com a atividade-fim.

Para citar um exemplo. Provavelmente o Felipe Miguel (quem é da guilda sabe quem ele é :) acha que eu o desprezo como pessoa. Na verdade é o contrário: só paro para ler o que ele escreve porque ele é ex-Conectiva.

Outra experiência pessoal peculiar foi a faculdade de Direito. É, eu já pensei em virar advogado um dia. Mas abandonei após um ano e meio. Apesar disto, mantenho contato com vários colegas. Já da faculdade de Contabilidade... não tenho contato com absolutamente ninguém.

Para mim é algo meio estranho, este pertencimento a uma guilda, já que nunca o desejei, nem fiz qualquer esforço para obter. Aconteceu por afinidade pura e simples, não por ser obrigado a "bater ponto" em algum lugar, como tantos fazem (e outros tantos se obrigam a fazer) em igrejas, clubes etc.

A guilda tem um "lado B" também. Às vezes o excesso de proximidade erode as boas maneiras. As piadinhas com os pontos fracos de cada um vão ficando pesadas... As histórias e maneirismos vão ficando repetitivos, as pessoas ficam cada vez mais previsíveis, pelo menos aos olhos dos seus pares.

Mas a repetição e a previsibilidade também rendem elas mesmas algumas piadas. Quase todo programa de humor explora este lance do comportamento repetitivo, não é mesmo?

No #d00dz costumamos brincar dizendo que podíamos desenvolver robôs baseados em cadeias de Markov ou expressões regulares, etc. E então deixá-los em nosso lugar, que eles ficariam discutindo, sem que um observador externo pudesse fazer distinção.

Parece idiota mas é divertido e ajuda bastante a animar o cérebro numa segunda-feira de manhã. Isto dá uma aura "utilitarista" ao #d00dz, não é mais um simples um sumidouro de tempo como o Facebook.

Quando algum dos participantes fica particularmente repetitivo a ponto de ser chato, ou sensível demais aos "triggers" (disparos) usuais — por exemplo, dificilmente consigo ficar calado se a palavra "imposto" pinta no canal — vem a piadinha:

[Sicrano] Ei, Fulano, ping, tira seu robô do canal, parece um realejo

Duas fisgadas numa só: chama Fulano de chato e ainda por cima sugere que ele não sabe programar :)

Em cima da repetitividade, cria-se outra brincadeira que é colocar palavras na boca de outrem. Se você já sabe qual vai ser a resposta do seu colega, e digita mais rápido, por que não? :)

Elevamos isto à categoria de esporte olímpico:

[rudy]  Paguei meu IPVA hoje
[rudy]  [epy] Malditos impostos
[epy]   Ei, não precisa colocar palavras na minha boca
...
[rudy]  Eu vinha do trabalho e estava tendo um protesto na via Crucis
[rudy]  [epy] TUDO VAGABUNDO
[epy]   me poupou o trabalho de digitar
[epy]   obrigado
[epy]   [bruder] ei ei vocês sabiam que o vinho chileno tem
                 49.5% de pureza?
[rudy]  lol

Uma pseudo-citacão pode ser no estilo "teu passado te condena", anotando-se a época em que o colega disse algo "comprometedor":

[twm]   e os símbolos de multiplicar e dividir? Fez no Gimp?
[epy]   usei unicode para todos os simbolos matematicos
[rudy]  [epy@2000] unicode é coisa de comunista
[rudy]  [epy@2000] ISO 8859-1 é suficiente para o mundo ocidental
                   civilizado
[epy]   ta ta ta
[rudy]  [bill gates] 640k should be enough for everyone

Muita gente já saiu da guilda #d00dz porque foi pego "de jeito" numa destas piadinhas. Teve um sujeito, não lembro o nome dele, mas lembro da piada que o "enterrou":

[jose]     Eu continuo dizendo hoje o que já dizia há 10 anos atrás:
[marcioz]  [jose] Por favor alguem me coma
* jose has quit (vão se ferrar vcs, nunca mais volto aqui)

E, como todo desenvolvedor aprecia processos recursivos, as pseudo-citações acabam elas mesmas pseudo-citadas:

[epy]      Eu tava lendo sobre carga tributaria 
[bandora]  [rudy] [epy] a carga tributaria brasileira é um absurdo!!
[rudy]     pow :(

Nada limita uma pseudo-citação a dois "passos" como no exemplo acima. Pode-se colocar palavras na boca de outrem em três passos, quatro, cinco... quanto mais, melhor.

Citações também podem ser "reflexivas", como no exemplo semi-hipotético abaixo:

[epy]      Eu tava lendo sobre carga tributaria 
[epy]      [rudy] [epy] a carga tributaria brasileira é um absurdo!!
[epy]      entao rudy, deixe eu acabar de falar ok?
[rudy]     papo chato hein

Minha modesta contribuição à linguística é a pseudo-citação "infinita", uma extensão Ramanujiana ao conceito:

[epy]   troquei de novo de operadora de celular
[epy]   problemas demais na anterior
[epy]   ... [epy] [epy] tem que privatizar tudo!
[twm]   :)
[rudy]  :)
...
...
[fulano]  meus e-mails vem com acentuação quebrada
[epy]     como pode isso no século 21
[epy]     até SMS de celular funciona unicode hoje em dia
[epy]     ... [epy] unicode é coisa de comunista
[epy]     :P

Os exemplos acima têm apenas um passo na "estrutura". É o caso mais simples, embora eu o considere melhor (ou seja, mais engracado). O exemplo abaixo possui estrutura mais complexa, embora seja igualmente infnito:

[epy]   mas entao eu tava lendo a Economist
[rudy]  ... [epy] [rudy] [epy] [rudy] papo chato
[epy]   ... [epy] [rudy] papo chato
[epy]   nossa, QED entre 2 citações infinitas
[epy]   mas não, não vou falar de imposto
[epy]   o artigo q eu ia comentar era sobre o Bozon de Riggs
[epy]   que faz o nerd sedentário adquirir massa gorda 
[rudy]  ok, mas
[rudy]  Riggs real = 0.95 * Riggs ideal
[rudy]  como isto se encaixa na tua teoria?
[epy]   precisa de um ciclotron maior pra testar esta hipotese
[epy]   com a circunferencia da tua barriga

Quem disse que o bate-papo virtual é necessariamente mais pobre que um tete-a-tete? :)

DISCLAIMER: os logs dos exemplos são todos hipotéticos, e manipulados para ilustrar os "conceitos". (Embora eu suspeite que o log típico do canal real seja beeeem parecido :)

e-mail icon