Site menu A quem interessar possa
e-mail icon
Site menu

A quem interessar possa

e-mail icon

2011.08.12

Este artigo expressa a opinião do autor na época da sua redação. Não há qualquer garantia de exatidão, ineditismo ou atualidade nos conteúdos. É proibida a cópia na íntegra. A citação de trechos é permitida mediante referência ao autor e este sítio de origem.

Duas atividades recentes têm soprado as brasas da memória. Uma delas é a preparação de uma palestra sobre vida profissional. A outra foi o lançamento do emulador de HP-12C na Web para Android (batizada de Touch Fin).

A HP-12C é o "padrão-ouro" das calculadoras financeiras, mas já mostra a sua idade. Algumas funções "sobram" (exemplo: depreciação), outras fazem falta (como Black-Scholes). Certamente é um objeto cujo uso só tende a diminuir.

Mas ainda é muito utilizada, o número de acessos ao emulador (3000 por dia, mais ou menos) mostra isso, de modo que ainda tem valido a pena fazer algumas "variações sobre o mesmo tema" e ganhar uns trocados no AdSense. Não é o que paga as contas, enxergo isto mais como pontos num jogo.

Também é um projeto divertido, quase todo informata que se preze brinca com alguma arquitetura antiga. Quem sabe um dia eu ouça o Rudá e faça um emulador de HP-48 :)

Obviamente, eu gosto da calculadora. Possuo três HP-12C, e ganhei uma HP-11C de um cara que gostou do emulador. Tirante a 11C que trato como a relíquia que é, as demais estão incrivelmente gastas; preciso comprar mais uma em breve.

Figura 1: Minha primeira HP, comprada em 1993, ainda em operação

Esta experiência pessoal me convence que o emulador não tira clientes da HP. Se um dia me convencer do contrário, tiro o emulador do site no mesmo instante. O emulador é uma forma de experimentá-la com calma e com tempo, e uma calculadora de verdade é muito mais conveniente, para quem realmente usa.

Outra questão é a confiança. Você confiaria nos resultados de um emulador para calcular a prestação da sua casa? Eu não! :) Escrevi o emulador, mas na hora de fazer uma operação financeira "séria" eu uso a calculadora real, no mínimo para conferir o resultado.

Também há uma razão sentimental para ficar "brincando" com esta calculadora, e talvez seja a mais importante de todas. Foi por conta de uma HP-12C, ou por saber lidar com ela, que consegui meu primeiro "empregão" — daqueles que seu salário encosta no do seu pai, e você começa a ser tratado como um ser humano de verdade em casa (*). É possível que eu esteja aqui hoje graças a este evento.

Foi assim: eu tinha um sistema em Clipper para factorings (**), do qual vendi diversas cópias. O gerente de uma factoring, de longe a maior de todas, ligou reclamando que meu sistema subestimava os juros, o que teria causado perdas "de 30 mil reais".

Diante de uma acusação destas, a defesa precisa ser vigorosa, mesmo que de fato houvesse um erro. Até porque poderia haver suspeitas de fraude.

Mas eu tinha certeza razoável de que as contas estavam certas, pois utilizava as fórmulas do manual da HP-12C, e os valores batiam com os da calculadora até o centavo.

Na hora do "confronto", a conversa seguia normal (ou seja, comigo no papel de culpado) até que saquei a HP para provar meu ponto. Aí o tom já foi mudando ("Puxa, você sabe operar isso?").

No fim das contas a diferença devia-se ao fato do tal gerente usar uma calculadora da TI.

Ainda alterei o sistema in loco para os valores baterem com a calculadora dele, o que reforçou a boa impressão. Uma semana depois, fui contratado em tempo integral.

Embora ser generalista esteja fora de moda (e de fato não é o ideal) não deixa de ser curioso que um conhecimento não-relacionado com informática tenha definido minha carreira.

(*) Isto é um assunto que merece um artigo só para ele. Mas a linha de raciocínio é a dificuldade em ser homem (no sentido de portar cromossomo XY) numa faixa de idade que vai dos 9 aos 20, com um período particularmente crítico dos 10 aos 13. Enquanto as meninas de mesma idade recebem tratamento consideravelmente mais ameno por parte dos pais e da sociedade.

(**) A saga das factorings nos anos 90 é outro excelente assunto para um artigo, até pela correlação com a presente bolha imobiliária.

e-mail icon