Site menu Canetas-tinteiro chinesas
e-mail icon
Site menu

Canetas-tinteiro chinesas

e-mail icon

Quando se diz "coisa chinesa", geralmente pensamos em coisa barata e de baixa qualidade. De fato a indústria chinesa produz muitas canetas-tinteiro extremamente acessíveis. Porém, é preciso ressaltar que a escrita manual ainda é muito importante para os orientais em geral. Existem fabricantes chineses com quase um século de existência; é uma indústria que atende o enorme mercado local, e está sujeita ao escrutínio local. Não é como a produção de bugigangas eletrônicas efêmeras, construídos por sweatshops também efêmeros e exclusivamente dedicados à exportação para o ocidente.

Assim, deve-se olhar com algum respeito para as canetas-tinteiro chinesas, sem perder de vista que realmente existem marcas e exemplares muito ruins. Já joguei muitas no lixo. É recomendável pesquisar e inicialmente ficar com marcas e modelos consagrados.

Genericamente falando, o ponto fraco da caneta chinesa é a pena:

Figura 1: Pena de uma Jinhao 599 nova. Note que a parte superior é mais fina.

Como se pode ver na foto acima, a pena foi cortada fora do eixo. Uma pena assim escreve e pode ser melhorada mediante ajustes, mas nunca terá o desempenho de uma pena nascida perfeita. De cada 3 ou 4 canetas Jinhao 599, apenas uma virá cortada perfeitamente, mas como o produto é tão barato, pode-se usar a tática "espalha-chumbo": comprar um grande número de exemplares para selecionar os componentes mais perfeitos.

Aliás, ouvi dizer que até 2016 toda a indústria chinesa de canetas esferográficas ainda importava um componente: a ponta da caneta onde aloja-se a esfera. Apenas naquele ano conseguiram produzí-lo "em casa". Algo semelhante acontece com as penas. Ao que parece, metalurgia fina não é um tipo de indústria tão fácil de transplantar (ou copiar). O mesmo acontece com a química fina: ainda não há um fabricante chinês de tintas consagrado no ocidente.

Além dos defeitos de nascença, mesmo as canetas chinesas com todos os componentes em ordem precisam de ajustes para funcionar "perfeitamente". Até funcionam sem ajustes, mas bem abaixo do seu potencial. Isto deve ser encarado como uma oportunidade: o preço baixo de alguns modelos permite comprar por dúzia e arruinar umas 3 ou 4 penas no processo de aprendizado sem sentimento de culpa.

Os demais componentes das canetas costumam ser bons o suficiente, às vezes até excepcionalmente bons, o que torna muito popular a construção de "Frankensteins": instalar penas de melhor qualidade ou de propósito especial num corpo chinês.

Por último, o baixo preço do produto chinês é resultado de produção em série extrema. Neste aspecto, a caneta tinteiro-chinesa é a antítese da caneta indiana.

Jinhao

Fundada em 1988, a Jinhao redefiniu e continua redefinindo o custo/benefício de uma caneta-tinteiro. Além de fornecer produtos extremamente baratos, impressiona a qualidade bastante razoável e a visível melhora conforme os anos passam. Tanto assim que tem conseguido penetração em mercados exigentes como EUA e Europa.

Figura 2: Canetas chinesas Jinhao

Há inúmeros modelos de caneta-tinteiro dessa marca, porém os mais conhecidos são os citados abaixo:

Jinhao 599

É a rainha das canetas-tinteiro baratas. Custava menos de US$ 3 há dois anos, agora já se encontra por até US$ 1. Seu estilo é copiado descaradamente da Lamy Safari. Até a pena costumava ter cantos dobrados como a Safari, mas isto já mudou, agora a pena (sempre média) tem estilo arredondado. Disponível em inúmeras cores, e cada caneta vem com um conversor internacional! Os sovinas do mundo inteiro reverenciam a 599.

Como é de se esperar num produto tão barato, a qualidade é bastante variável. As penas melhoram bastante depois de um ajuste. O plástico empregado nas canetas é frágil e às vezes quebra sozinho. O encaixe do conversor internacional pode ser meio frouxo, podendo escapar num movimento brusco e deixando vazar tinta. Também há o problema das penas cortadas fora de centro, já mencionado antes.

Jinhao 500

É uma versão mais bonita da 599, com pena de mesmo tamanho, mas aparentemente com mais qualidade. A única caneta 599 sobrevivente na minha coleção usa uma pena 500.

Nem a 599 nem a 500 são muito populares como "Frankensteins" porque usam a pena tamanho #5, mais difícil de encontrar avulsa.

Jinhao x450 e x750

Estes dois modelos estão bem acima da 599. São construídas com material melhor, um conversor melhor, são mais pesadas, mais bonitas e usam pena #6. Já eram baratas há tempos atrás quando custavam US$ 10-12, agora podem ser encontradas até por US$ 5. Estão disponíveis em inúmeras cores e padronagens muito bonitas.

A pena original é razoável, e o sistema de alimentação tem fama de ser realmente bom. Por conta disso, uma alteração comum é instalar uma pena Jowo #6, criando assim uma caneta que rivaliza com modelos muito mais caros. Já montei duas "Frankensteins" assim, com bons resultados. Outra modificação popular é instalar uma pena de desenho flexível Zebra G.

As diferenças entre x450 e x750 são apenas estéticas: tamanho ligeiramente diferente e uma "pegada" mais anatômica para os dedos na x450.

Jinhao 159

Esta é uma versão maior e mais arredondada, no estilo "charuto". O estilo é "emprestado" da Montblanc 149 (notou a semelhança do número?). Também é um pouco mais cara que as x450/x750: em torno de US$ 10 atualmente. Muita gente também compra esta caneta para instalar uma pena #6 melhor, até mesmo de ouro.

Penas Jinhao avulsas

Encontra-se no AliExpress penas Jinhao avulsas, que parecem ser melhores que as inclusas nas canetas. Pudera, o custo unitário é igual ou maior que uma caneta inteira.

Hero

Empresa fundada em 1931 e bem conhecida no mundo inteiro há varias décadas. O modelo mais conhecido de caneta é a "Hero 100", uma cópia aproximada da legendária Parker 51. Copia inclusive a qualidade: é construída em metal, possui pena de ouro 14k e custa US$ 40.

Atualmente, o modelo "Hero 616", visualmente semelhante ao modelo 100, é mais difundido, e muito mais barato. Infelizmente, o que mais se encontra para comprar é "Hero 616" falsificada, geralmente em torno de US$ 1, enquanto uma 616 legítima custa pelo menos US$ 6. A falsificação escreve terrivelmente, apesar do mecanismo de enchimento (bexiga e um "snorkel") funcionar bem.

A Hero fabrica muitos outros modelos, com preços indo até US$ 100, uma enormidade para os padrões chineses. Também há um mercado de exemplares antigos ("vintage") desta marca, outra excentricidade em se tratando de produto chinês fabricado em série.

Wing Sung

Esta marca pertence à Hero mas é mencionada nos fórums como um ente separado, pois o estilo das canetas é bem específico da marca-fantasia: corpo transparente e (quase sempre) mecanismo de pistão. Os modelos mais conhecidos são 698, 618 e 3003. O modelo 698 custa em torno de US$ 12, as demais são mais baratas.

Figura 3: Caneta Wing Sung 698

Superficialmente, parecem cópias da TWSBI Eco. É possível (não posso confirmar) que a Wing Sung tenha adotado o estilo transparente na esteira do enorme sucesso da TWSBI. Porém a construção das canetas Wing Sung é diferente, com a grande vantagem de serem facilmente desmontáveis sem ferramentas. E vêm com alimentador transparente: são as canetas transparentes mais transparentes que existem (perdoe o pleonasmo).

Figura 4: Esquema interno da Wing Sung 698. A desmontagem começa pelo desparafusamento da peça 10.

A pena "fina" das 698 é realmente fina (0,38mm), bem ao estilo oriental, então provavelmente você vai preferir uma pena média (0,5mm). Infelizmente não há outras opções de pena. A 3003 só está disponível em extra-fina. A propósito, o modelo 3003 usa conversor em vez de pistão, mas "engana" devido à transparência das peças.

O pistão da 698 pode estar um pouco pesado quando a caneta é nova, por falta de lubrificação. Recomendo lubrificá-lo com óleo ou graxa de silicone 100% puro (silicone não-puro contém derivados de petróleo, que atacam o plástico e os retentores). Dependendo de onde se compra, um pequeno cartucho de óleo de silicone acompanha a caneta.

Deli

É um grande fabricante na China, porém ainda pouco conhecido por aqui.

A única caneta que conheço é a "Discovery", de metal, muito bonita, vem inclusive numa caixinha que faz um bom presente. Vem com conversor internacional mais dois cartuchos de tinta. O único "defeito" é a pena muito fina.

LECAI / Moorman

Este fabricante, ou marca-fantasia, é conhecido por um modelo de caneta transparente "conta-gotas", ou seja, a caneta deve ser aberta e preenchida de tinta com um conta-gotas ou uma seringa. É uma caneta bonita e minimalista, com uma pena um pouco melhor que a média chinesa. A versão M2 vem num estojo e inclui um conta-gotas de vidro. O preço da mesma no eBay também é um pouco acima do padrão chinês, em torno de US$ 10-15.

Caliarts

Este fabricante é mais conhecido pelos modelos "Ego" e "Ego 2". Estes modelos são cópias aproximadas da TWSBI Eco, embora com dimensões ligeiramente diferentes, e custando apenas US$ 7. A cópia é tão descarada, que a Caliarts também precisa de uma ferramenta (incluída no estojo) para ser aberta.

Para quem deseja uma caneta parecida com a TWSBI Eco, mas não quer gastar, eis a sua caneta. A Ego (às vezes chamada de "Ego 1" nos fóruns) é transparente; a Ego 2 é opaca.

Pessoalmente, prefiro a Wing Sung por ser mais fácil de desmontar, embora a Caliarts venha num estojo de metal, fazendo um presente melhor que a Wing Sung em seu blister de plástico.

TWSBI

A TWSBI é uma empresa sediada em Taiwan, uma ilha que "é mas não é" parte da China continental. É um empreendimento de décadas, fabricante de peças para outras marcas de caneta. Apenas recentemente lançou sua própria linha, voltada para um público bem específico: entusiastas que apreciam qualidade e aceitam pagar por ela, desde que não custe os olhos da cara.

A linha de canetas é bem focada: 4 ou 5 modelos, todos de pistão, começando em US$ 30 e não ultrapassando US$ 70. Steve Jobs daria sua bênção se estivesse vivo. O modelo mais barato é a TWSBI Eco, em acrílico transparente.

A qualidade está num patamar acima das demais: a TWSBI briga de igual para igual com as grandes marcas alemãs e japonesas. Tanto que já inspirou imitações chinesas como a Caliarts. Todas as TWSBI são equipadas com penas alemãs.

e-mail icon